Homossexualidade

 

nos primórdios da Psicologia, Freud (1905) afirmou que todo ser humano tem uma bissexualidade psíquica inata, ou seja, a criança é naturalmente curiosa e capaz de ter prazer sexual tanto com meninos quanto com meninas independentemente de seu próprio gênero.

Em seu processo de crescimento vai aprendendo e desenvolvendo interesse mais comumente pelo sexo oposto. Em paralelo ao desenvolvimento da personalidade e sexualidade  a sociedade “prega”, de forma explícita ou não, que o homem deve ter atração pela mulher e a mulher pelo homem, e que isso é o normal e o esperado.

É comum que com o passar do tempo, a pessoa que percebe-se interessada por outra do mesmo sexo entre em um ciclo de crise e sofrimento emocional que costuma agravar no período entre a adolescência e o início da idade adulta, já que seus desejos apresentam-se incompatíveis com a expectativa e determinação social.

Em 1971, a Associação Psiquiátrica Americana (APA) retirou do Manual Diagnóstico e Estatístico (CID) o “homossexualismo”, como na época era chamado, e a partir daí a homossexualidade deixou de ser tratada como patologia dentro da medicina.

A Organização Mundial de Saúde (OMS – 2000) define que a sexualidade é resultado  da interação de fatores biológicos, psicológicos, sócio-econômicos, culturais, éticos, religiosos e espirituais. Diante disso a homossexualidade não deve ser considerada uma “opção sexual” como por muito tempo foi chamada. Sentir-se atraído afetivamente por alguém do mesmo sexo deixou de ser considerado uma escolha. A opção é manter-se ou não em um relacionamento afetivo homossexual.

Sendo assim, não tratando-se de uma “doença”,  homossexuais não precisam de tratamento psicológico por serem homossexuais. O que muitas vezes ocorre é que o processo de “descoberta” e aceitação é  muito doloroso e permeado de sentimento de culpa, baixa auto-estima, inaceitação, complexo de inferioridade que acompanham o sujeito por muito tempo ao longo de sua trajetória. A psicoterapia auxilia no processo trabalhando cuidadosamente todos os aspectos emocionais relacionados,  para que o cliente possa estabelecer qualidade de vida emocional e sexual.

TRATAMENTOS E TEMAS ABORDADOS

Há 11 anos a Clínica Ritma auxilia pessoas a superarem momentos de bloqueio
e conflitos pessoais, familiares, sexuais e profissionais

Ejaculação Precoce

EJACULAÇÃO PRECOCE TEM CURA A Ejaculação Precoce (EP) ou Rápida ...

Saiba Mais

Problemas sexuais H

EJACULAÇÃO PRECOCE (EJACULAÇÃO RÁPIDA) A Ejaculação Precoce (EP...

Saiba Mais

Problemas sexuais M

  FALTA DE DESEJO SEXUAL (PERDA DA LIBIDO) A falta de desejo sexu...

Saiba Mais

Homossexualidade

Já nos primórdios da Psicologia, Freud (1905) afirmou que todo ser h...

Saiba Mais

Saúde emocional

Diferentes áreas vem investigando o conceito de Qualidade de vida das...

Saiba Mais

TOC

É comum em alguns momentos percebermo-nos com preocupações exagerad...

Saiba Mais

Por que fazer terapia?

A necessidade de fazer terapia surge em momentos de conflito e dor int...

Saiba Mais

Medo e Fobia

Medo é uma reação natural do organismo que provoca estado de alerta...

Saiba Mais

Depressão

A Depressão é considerada um estado de humor alterado, de causas ain...

Saiba Mais

Síndrome do pânico

A Síndrome ou Transtorno do Pânico e uma condição psiquiátrica ca...

Saiba Mais

Auto Estima

Timidez é uma característica inata e natural nos seres humanos desde...

Saiba Mais

Déficit de Atenção

Déficit de Atenção...

Saiba Mais

Estresse

Estresse pode ser definido como um estado de tensão que causa uma rup...

Saiba Mais

Transtorno Bipolar

O Transtorno Bipolar, antigamente chamado de Psicose Maníaca – Depr...

Saiba Mais

Orientacão Profissional

É freqüente que o momento de escolha profissional seja acompanhado p...

Saiba Mais

Ansiedade

Ansiedade é uma sensação de mal estar físico e mental que envolve ...

Saiba Mais